Cocada

A "cocada" chegou ao Brasil como um prato ritual - "comida dos orixás" - do candomblé, religião trazida da África pelos "iorubás", o grupo étnico africano que mais contribuiu ao processo de integração. (Fonte: "Baianas do acarajé: uma história de resistência", Carolina Cantarino, Revista Sabores do Brasil n° 13, Ministério das Relações Exteriores do Brasil) 
Tem cocada "branca" ou "preta", com o açúcar queimado, e pode ser enriquecida com leite ou com um pouco de fruta como abacaxi, maracujá, capuaçu, ... Eu acho que as melhores cocadas são aquelas vendidas na praia, na feira livre e no tabuleiro da baiana naturalmente. 
No delicioso livro de cozinha da Africa portuguesa "O tempero da morena", de Eunice Meneses e Sónia Trigueirão, tem uma receita de "cocada" que é muito parecida com a receita do "bom-bocado" e da "cocada mole" que se fazem no Brasil. 

Ingredientes

Preparo

1. Abrir o coco e ralar. Preparamos metade da receita da "cocada branca" com o coco sem a pele e metade com a pele, mas tem pouca diferença... 
2. Colocar todos os ingredientes em uma panela de fundo grosso e cozinhar em fogo médio sem parar de mexer com uma colher de pau, até a massa soltar da panela. Demora cerca de 10 minutos.  
3. Fazer as cocadas (quenelles) com o auxilio de 2 colheres, e colocar numa superfície forrada com papel manteiga. 
4. Deixar "secar" ao ar livre ou ao sol. 
5. Conservar em temperatura ambiente.  
Nota: para fazer a "cocada preta" precisa deixar o açúcar começar a caramelizar antes de iniciar a mexer com a colher de pau. 

Rendimento: 10 cocadas.
Postado em : 02 Giugno 2012
As cookies ajudam-nos a oferecer os nossos serviços. Ao utilizar os nossos serviços, aceita o uso de cookies. Mais informações