Arroz de carreteiro

O arroz de carreteiro é um dos pratos emblemáticos da cozinha tropeira e da cozinha gaúcha (juntamente com o churrasco). A receita original, nascida durante as longas viagens das tropas que percorriam e abasteciam o interior do Rio Grande do Sul, se tornou a refeição diária dos carreteiros. Era preparada somente com ingredientes locais (arroz e charque), muito substanciosos e não perecíveis, que resistiam ao transporte nos carros de boi (carretas). O gado foi introduzido no Rio Grande do Sul no início do séc. XVII, mas a produção do charque começou somente no fim do séc. XVIII, depois da grande seca no Nordeste que dizimou os rebanhos da região. O prato tornou-se popular em todo o país e pode ser encontrado em diversas versões com ingredientes como, por exemplo, pimentão, tomate, ovos cozidos ou mesmo restos de churrasco ao invés de charque. No Nordeste e no Estado do Tocantins existe um prato muito similar conhecido como Arroz Maria Isabel, que é preparado com carne seca ou de sol ao invés de charque, e servido com feijão cozido e farofa de banana da terra.

Ingredientes

Preparo

1. Cortar o charque em pedaços pequenos, retirar os nervos e a gordura e deixar de molho na véspera, trocando a água pelo menos 3 ou 4 vezes. 
2. No dia seguinte jogar fora a água e cozinhar com pouca água em fogo baixo, até ficar bem macio. Escorrer, deixar esfriar e, se preferir, desfiar a carne. 
3. Lavar bem o arroz para eliminar todo o amido e escorrer. 
4. Picar a cebola, e o alho. 
5. Colocar a banha ou a manteiga em uma panela grande e refogar o charque por alguns minutos.  
6. Acrescentar a cebola picada e, depois que amolecer, juntar o alho picado e a pimenta e deixar refogar por mais alguns minutos. Agora seria o momento de acrescentar, se quiser, 1 tomate e 1 pimentão pequeno em cubinhos. 
7. Juntar o arroz lavado e escorrido e deixar tostar por 2 minutos, sem parar de mexer. Acrescentar quase toda a água fervendo e misturar. Depois que levantar fervura abaixar o fogo, tampar e deixar cozinhar per cerca de 8 minutos. Acrescentar sal se necessário. Quando a água estiver totalmente absorvida controlar se o arroz está cozido. Se necessário acrescentar mais um pouco de água fervendo e deixar cozinhar por mais 1 ou 2 minutos. 
8. Decorar com salsinha e cebolinha, a gosto. 
9. Servir com feijão mexido (prato típico riograndense de feijão engrossado com farinha de mandioca) ou com feijão cozido. 

Rendimento: 6 porções
Postado em : 18 Novembre 2015
As cookies ajudam-nos a oferecer os nossos serviços. Ao utilizar os nossos serviços, aceita o uso de cookies. Mais informações